Quem eu sou, onde estou e aonde vou?

Essas eram algumas das minhas indagações nas minhas constantes crises de depressão…  E enquanto eu não me conhecia, nada resolvia… Até que um dia, em novembro de 2016, em um grupo de estudos, dentre alguns que participo, o orador afirmou que um dos motivos do sofrimento, da depressão era o orgulho.

Logo pensei:  – Eu, orgulhosa?!!

Claro, sem perceber meu questionamento interno, ele continuou seu raciocínio dizendo que muita das vezes, nós sabemos o motivo das nossas dores, entretanto não assumimos por medo ou por orgulho

Continuei atenta as suas colocações, afinal o assunto me interessava e ao término do encontro fui embora com aquela “afirmação” …

Eu queria me conhecer  e confesso que esse momento foi primordial para a minha cura

Passei a me analisar cuidadosamente, atitude nada fácil, mas eu sempre acreditei que a disciplina é o caminho do êxito e persisti em saber tudo a meu respeito, quando tão logo descobri o meu orgulho, sim, orgulhosa, primeiramente pela certeza de não me achar já me tornará, além disso por considerar que os meus problemas, sofrimentos, perdas, dores, dívidas, conflitos, entre tantas outras dificuldades, sempre eram maiores do que a dos outros, quando na realidade, todos nós passamos ou estamos em crise . Reclamar ao invés de buscar soluções para mim era mais cômodo, acreditar que a vida tem que ser perfeita, me causava mais sofrimento.

(Ah, lembrando que minha analise é baseada no sentido pejorativo, o orgulho de forma apreciativa, se valorizando de forma natural é muito importante, assunto para outro post 😉 )

Após reconhecer  minhas dificuldades, a autoanálise começou a fluir, percebi que assumir minhas  fraquezas me tornava mais forte,  afinal cada um de nós temos os nossos sonhos pessoal e assumi-los e batalhar por eles é um ato de coragem.

Aqui partilho de maneira simples e no verbo presente as  ferramentas para desenvolver e manter a busca pelo autoconhecimento, antecipadamente concluo que o caminho está dentro de você ♥

Primeiramente começo a anotar quais as minhas emoções diante das percepções de detalhes sobre mim mesma, de outras pessoas e situações… As emoções que mais se repetem me ajudam a tomar consciência da origem do meu estado emocional.

Quem eu sou?

Analiso quem sou neste momento e quem  almejo ser, posteriormente anoto minhas percepções ou conclusões, no meu caso, registrar me ajuda na continuidade do meu objetivo, que é me descobrir sempre. Criar estratégias  de como fazer para conseguir Ser a Delvita que eu tanto desejo me impulsiona.

Onde estou? LEIA MAIS